sábado

Psicanálise de graça



Então é isso: você corre atrás, sempre há um rosto ou uma imagem, uma fantasia a perseguir por causa do Outro – na falta do qual a gente se contenta com o(s) outros(s) ou alguma coisa ("as coisas vos bisando", como diz Jorge de Lima). O Outro é aquela cócega na alma, o que ficou faltando quando não falta nada. Isso não acaba. A gente é que muda de assunto.



Da série gráficos da vida virtual


21 comentários:

Jens disse...

Pô, Adelaide, deu um nó no meu cérebro. Vou chamar o outro.
Beijo e bom domingo.

Jens disse...

Tô voltando da História incompleta com um pedido urgente: mais, mais, mais!!!

Dora disse...

Adelaide. Você passa da Psicanálise à sala de bate-papo...rs Alguma relação entre os assuntos?
Afinal, a gente busca o "outro" que nos falta, em algum lugar, até mesmo nessa "coisa doida" chamada "chat"...né?
Beijão!
Dora

bordadosdemim disse...

O mundo virtual é isso mesmo, a net é uma grande "ilha da fantasia" onde qualquer um pode ser qualquer coisa; Por tudo isso, sou extremamente seletiva no meu círculo de amizades e há muito tempo abandonei as salas de chat, cansei delas, é preciso "peneirar" muito.

Beijos, lindo domingo!

Ariadna Garibaldi

Flávio Corrêa de Mello disse...

simplesmente ótimo!

Jens disse...

Amor e intriga política com tudo a que têm direito, tragédia e corrupção: sensacional.
A história me fisgou completamente, emgoli anzol, isca, linha e bóia.
Acho que vai rolar alguma coisa entre a Liria e o Pôncio. É só um palpite - sei que vocês, escritores, além de ter uma mente diabólica, são completamente imprevisíveis.
Beijo, de novo.

dade amorim disse...

Jens, Se eu conhecesse um editor igual a você, minha carreira de escritora deslanchava de vez. Beijos triplos!

dade amorim disse...

Dora, como sempre você pegou o espírito da coisa. Menina esperta.
Beijo beijo pra você.

dade amorim disse...

Você tem toda razão, Ariadna. Somos duas. Beijos!

dade amorim disse...

Mestre Flávio, obrigada pela generosidade e volte sempre. Beijo.

Luma disse...

hahahaha que horror este gráfico! Ainda bem que não entro em salas de bate-papo!

Adelaide, passou tanto tempo, você mudou de domínio, desistiu, voltou pro blogspot...acertei? Tantas coisas aconteceram e somente hoje postei um selinho que me deu. Obrigada!!

Boa semana! Beijus

Nanda disse...

Logo quando comecei a conhecer a internet, visitei alguns chats e ser dupla libriana nessas horas até ajudava...rs - Quando um tarado começava com aquele papo 'o que está usando?', eu respondia uma armadura, o cara me deixava em paz ou conversava numa boa!rs

dade amorim disse...

Luma, como é mesmo o ditado? Antes tarde... Beijinho, viu?

dade amorim disse...

Nanda, dar trela a alguém de que nem se vê a cara nem ao menos se ouve a voz, sei não, mas me parece de uma idiotice sem fim. Faz muito bem entrando no chat de armadura :) Beijo beijo.

king of pain disse...

Não aguento mais mudar de assunto! Mas também não quero que o outro vá embora, não. Será que se eu falar com ele eu fico doida?
Beijos!

Janaina Amado disse...

O título do post é ótimo! Texto e gráfico também. Uma de minhas cartas do tarô pessoal se chama justamento "o outro", pra gente tentar saber quem é este outro dentro de nós - de acordo com seu texto, este outro dentro de nós que nos faz loucamente procurar o outro na internet.
Beijo!

dade amorim disse...

Você faz cada pergunta difícil, King!
Eu acho que o problema pior é você pensar que está falando com uma pessoa que na verdade é outra =O/
Beijo beijo!

dade amorim disse...

É isso, Jana! Teho certa dificuldade para sair procurando no escuro da rede. Beijo beijo.

Cris disse...

kkkk...Dade, pervertidos de mais de 50 anos passando-se por 14 - a maioria? Deve ser mesmo verdade..kkk. Estou alongada da vida virtual, linda, mas com saudades suas. Ainda bem que temos os emails, não? Beijo, querida.

Celso Ramos disse...

É...só há sentido no outro...o problema é quando idealizamos o outro a tal ponto que nos perdemos!!! Não é só a internet que influencia esta história...a tv está ai para construir os ideais que todos acreditam querer....Se o próprio "querer" é produzido o que nos resta?

dade amorim disse...

É isso aí, Celso. Prazer em te ver por aqui.
Abraço pra você.