segunda-feira

Ana Angélica


Encontrado em http://vilavelha.olx.com.br/procuro-moca-para-dividir-apartamento-em-vila-velha-iid-16435264


Fala de tanta coisa ao mesmo tempo que no fim não sobra nada.
Ana Angélica, um nome assim tipo arrebatador. Não que ela faça o gênero – um pouco tosquinha, simpática e boa pessoa. Impossível é seguir o fio de seus pensamentos ou manter uma conversa coerente que dure mais de três minutos. O pensamento de Ana Angélica é como um tobogã transparente por onde deslizam incontáveis pedaços de assunto, nomes que não se sabe de onde vêm, lembranças e sensações mal definidas, misturadas como meadas de várias cores. Ana Angélica não conta uma história, conta várias ao mesmo tempo, e no fim é preciso fazer múltipla escolha entre os trechos de enredo e os finais. Por qualquer motivo ela ri, ri muito, o que torna suas falas uma colagem de palavras incompletas mas coloridas.
Não, não é doida nem passa perto disso. É alegre e adora se divertir. Ninguém a encontra em casa nas noites de sexta ou a qualquer hora nos sábados, sendo que aos domingos vai à missa – diz que se faltar à missa alguma coisa muito ruim sempre acontece durante a semana – e dali parte para a praia se não chover. Depois almoça um churrasco em casa de amigos ou amigos de amigos, toma todas que aparecerem e vai dormir cedo porque segunda é dia de voltar ao posto de recepcionista de uma clínica de estética na Barra.
Tem um círculo de amizades surpreendentemente grande, variado e flutuante. Tem orkut, adora sexo na internet e faz questão de espalhar suas fotos em todos os sites de relacionamento. Já fez dois abortos, porque diz que só quer filhos depois dos trinta e cinco e ainda tem vinte e oito. Fica, namora, sai sempre com alguém, faz qualquer coisa para não ficar sozinha, mas nunca demora mais de quinze dias com o mesmo cara.
Acredito que isso acontece porque uma vez passou uns meses com um sujeito que a trocou por outra e fez de seu coração risonho uma gruta escura. Caiu em depressão, parou de comer, quase morreu sozinha em seu canto. Os amigos a salvaram do desespero, mas depois do luto, voltou à rotina de variedades que a mantém sempre com o olhar brilhando e os dentes bonitos de fora.
Ana Angélica não quer servir de exemplo pra ninguém. Não se responsabiliza, e como tem o coração fácil de derreter, chora com facilidade, mas logo se distrai e esquece. Vive cada momento, não pensa no futuro nem pára em lugar nenhum do passado. Alguém já disse que ela é como espuma, sempre efervescente e renovada. Ana Angélica se especializou em esquecer.

______________________________



Um elogio aos livros sem parecer pseudo-intelectual - parte 1Diretamente do Bitaites
(Postado em 20 de novembro de 2007)

Existem três tipos de livros: os que se leem devagar, os que se leem depressa e os que foram escritos para ocupar os espaços vazios na estante da sala. Estes últimos são quase todos vendidos pela Selecções do Reader’s Digest, pelo que vou apenas falar dos dois primeiros.
Os que se leem devagar não são muito diferentes dos que se leem depressa: ambos têm um determinado número de páginas que vamos virando (uma de cada vez, de preferência) com o objetivo de chegar ao fim. Tanto uns como outros têm páginas com palavras que formam frases e frases que formam parágrafos e parágrafos que formam mais páginas.
A principal diferença entre um livro que se lê devagar e um livro que se lê depressa está na velocidade com que queremos virar as páginas. Há livros que nos fazem virar as páginas mais devagar; outros deixam-nos tão ansiosos pelo final que viramos as páginas mais depressa.
Dito desta maneira, até parece que a Literatura é uma corrida – diferencia-a apenas a velocidade com que percorremos o caminho e a rapidez com que chegamos ao nosso destino. Claro que a Literatura não é a corrida ou a caminhada em si, mas o momento em que paramos para respirar.
Como as grandes virtudes da vida moderna costumam ser apenas as que se prestam à quantificação, é natural que quem entre na corrida não tenha pachorra para o chato que está sempre a parar por querer apreciar a paisagem.
Os livros que se leem depressa têm grande sucesso sobretudo quando a história «promete», pois folheamos as páginas com a maior rapidez possível. A ânsia é tanta que damos por nós a saltar parágrafos inteiros, se for preciso, só para chegar mais rapidamente ao fim.
Deve ser essa a sensação dos fãs do Harry Potter quando afirmam estar «em pulgas» para saber o que vai acontecer no último livro.
Embora estes saltos entre parágrafos pudessem ser terrivelmente prejudiciais para as obras que se leem devagar, no caso dos livros do Harry Potter não se perde nada – digo isto não como crítica destrutiva mas porque, do ponto de vista do clímax da história (a confrontação final entre Harry Potter e Voldemort), são irrelevantes os bocejos provocados pelo capítulo em que se narra uma festa de casamento entre dois feiticeiros do jetset mágico.

Continua


______________________________



Amigos e Profissionais da Leitura

Aberta as inscrições gratuitas para o Seminário A Viagem da Leitura

Estão abertas as inscrições para o seminário A Viagem da Leitura, dia 15 de setembro, 3ª f, das 9h às 17h30, na XIV Bienal do Livro – Rio.
Vagas limitadas. Não perca.

A grande viagem, ao redor do mundo e de nós mesmos que a leitura proporciona é o tema do Seminário A Viagem da Leitura, promovido pelas Secretarias de Estado de Cultura e de Educação do Rio de Janeiro. Nele serão apresentados diferentes meios de se chegar ao livro e à leitura, seja através do novo conceito de bibliotecas, de novas formas de leitura, de experiências inovadoras ou do olhar do escritor. Alcione Araújo, Heloisa Buarque de Hollanda, Ana Ligia Medeiros são apenas alguns dos nomes que apresentarão suas ideias.
Programação completa aqui.

O Seminário A Viagem da Leitura destina-se a professores, bibliotecários e profissionais da leitura e será conferido certificado. Inscrições gratuitas (formulário em anexo) pelo e-mail bibliotecapublica@bperj.rj.gov.br ou fax: (21) 2533-1415 até 11 de setembro.

Vagas limitadas. Não demore a se inscrever. Queremos você nesta viagem. Avise seus amigos.


Professores e bibliotecários tem acesso gratuito na XIV Bienal do Livro.
Saiba mais nesse site.

Serviço:
Dia 15 de setembro, 3f , das 9h às 17h30
Seminário A Viagem da Leitura
XIV Bienal do Livro
Riocentro
Av. Salvador Allende, 6.555 - Barra da Tijuca, RJ

Inscrições gratuitas até 11 de setembro:
bibliotecapublica@bperj.rj.gov.br ou fax: (21)2533-1415
Vagas limitadas

12 comentários:

Celso Ramos disse...

Se você me permite,gostaria de acrescentar a sua lista os livros que se leêm a vida toda. São aqueles que por mais que já tenhamos lido sempre nos apresentam algo de novodenovodenovo.....

Gustavo do Carmo disse...

Não serve um moço para dividir um apartamento em Cabo Frio com a Ana Angélica? rsrsrs

Quintanilha FR disse...

nossa! é o Lummann nessa estante.
prefiro esses ... os que leio devagar

Du disse...

Adorei o post, parabéns!!!

Eu sou uma apaixonada, devoradora de livros mesmo! Alguns eu leio como se estivesse viciada, não consigo largar até terminar, outros, como por exemplo "Crime e Castigo", levei seis meses para ler, de tão denso e sensacional que é!!! Cada um tem seu estilo e eu amo todos eles, inclusive li e devorei todos os Harry Potter!:D

Beijos, querida!

Jens disse...

Oi Adelaide.
Interessante, a maluquinha da Ana Angélica.
***
"fez de seu coração risonho uma gruta escura." Putz, que sacada legal!
***
Perfeita a definição dos livros. Falando em livros que se leem depressa: estou aguardando ansioso os próximos capítulos da HI. (Ah, eu leio todos os parágrafos).

Um beijo.

ParadoXos disse...

um
beijo muito terno, neste lugar!!

dade amorim disse...

Bem lembrado, Celso. Também tenho alguns desses em minha estante. \beijo pra você, viu?

dade amorim disse...

So tentando, Gustavo ;)
Beijo pra você.

dade amorim disse...

Eu também, menina. Nem perco mais tempo com os outros. Beijo beijo.

dade amorim disse...

Queria curtir todo tipo de livro, mas não consigo. Àss vezes me acho muito chata por causa disso, Du. Um beijão.

dade amorim disse...

Jens, esse menino, sua reclamação procede. TOu tentando acertar o passo. Beijins.

dade amorim disse...

Yes, ParadoXos, obrigada.