quarta-feira

Notículas



Começou hoje. Com chuva e nuvens, um friozinho de serra aqui neste bairro desta cidade decadente. As flores existem, apesar de tudo, mas não sei por quanto tempo ainda vão ter condições de aparecer nos anos do futuro. Mesmo quando recomeçar a primavera.


____________



História incompleta está completa agora.
Continuará para sempre incompleta, ainda assim.
Me deu muito prazer vê-la ir se desenrolando, acho que o método de trabalho deu certo, criou certa disciplina e mostrou resultados antes do habitual.
Valeu, blogger.
Acho que vou repetir a dose em outra história que anda varrumando minha cabeça.
Não sei vocês, mas eu gostei da experiência.
Espero que possa ter sido bom pra vocês também.

14 comentários:

Aninha Pontes disse...

Uma linda e feliz primavera prá você.
E o que percebemos, é que todas as "Lírias" e "Laios" e "Poncios", enfim, todo ser humano só quer encontrar a felicidade.
É uma busca constante, cada um à sua maneira, mas o objetivo será sempre o mesmo.
Um beijo querida.

Sônia Brandão disse...

É primavera! Ame as flores que aí estão, não lamente o que virá ou deixará de vir.
bjs

Carol Timm disse...

Dade,

Primavera, ainda que em gotículas, será sempre Primavera.

Sempre podemos plantas flores novas e carregar os girassóis pela ruas.

Ainda que a passos lentos, as flores gostam de andar lentamente, contra o vento.

Beijos,
Carol

PS: Obrigada pelo presente!! : )
Ainda vou querer dedicatória, viu?

Melissa disse...

Oi Adelaide!

Eu acredito que as flores sempre darão um jeito de aparecer, seja na primavera ou na estação que for... Porque além de nós, homens e mulheres, há um jardineiro muito interessado em embelezar as nossas vidas!

:)
Um beijo!

dade amorim disse...

Querida Aninha, obrigada pela leitura e pelo carinho.

Beijos!

dade amorim disse...

Sônia, você está certíssima!
Viva a primavera.
Beijo beijo

dade amorim disse...

Carol, a dedicatória só não foi escrita :>
Beijo!

dade amorim disse...

Com certeza, Mel. Eu gosto de pensar nisso também. É que às vezes há pessoas parecem dispostas a atrapalhar a jardinagem.
Beijo pra você.

Jens disse...

Oi Adelaide.
Gostei muito de te acompanhar passo a passo na HI. A conclusão me agradou especialmente porque os mocinhos venceram no final. Ao menos na tua ficção, a corrupção recebeu o castigo que merece. Nestes tempos de impunidade, precisamos de lenitivos assim.
O petisco final foi particularmente saboroso - a revelação do segredo da sapeca da Liria apenas nas últimas linhas, como convém a escritores que dominam o seu ofício.
Como disse o bardo inglês, tudo está bem quando tudo termina bem.
Parabéns. Estou à espera da próxima viagem.

Um beijo.

dade amorim disse...

Obrigada pela leitura e pelo estímulo, Jens. Breve partimos pra outra :>>
Beijo.

Vanessa disse...

Dade, obrigada por embarcar na minha nova coletiva. Eu não sabia da história incompleta. Ando absorvida pelo meu livro. Assim que puder eu começo a ler .

abraço

Beti Timm disse...

dade a primavera trás sempre coisas boas, alviçareiras, pra mim tá um pouco tristinha, mas é meu momento, nada a ver com a deliciosa primavera.

Sabe que ainda não li tua aventura literária, mas vou arrumar um tempo e vou lê-la.

beijos

dade amorim disse...

Vanessa, estou torcendo por teu livro. Avise quando estiver para ser lançado e a possibilidade de remessa via postal. Beijo!
PS: Não tem o que agradecer, é uma alegria participar de suas blogagens.

dade amorim disse...

Beti, minha flor, é sempre uma alegria ver você por aqui ou nos outros blogs. Um beijo grande e carinho.