sábado

Promessa cumprida

Decidiram passar a lua de mel no Japão.
Do pequeno terraço de mesas brancas viam as escamas da lua flutuando na água. (A lua, que não tem mar, um dia teve.) Duas taças esguias faziam a festa para dois sozinhos, donos da Terra e meio altos, achando a vida um sonho encantado e o amor o lugar mais seguro do universo. Nem desconfiavam que dali a meia hora um tsunami levaria as taças e o resto.
Nesse momento, cumpriam a promessa romântica, feita durante a viagem, de se perderem numa noite que nunca ia se acabar.

18 comentários:

Jens disse...

Puxa, Adelaide, você sabe ser má. Não, não é malvada, mas, sim docemente trágica.

Beijo.

Ana B. disse...

digamos que a promessa se cumpriu com uma ajudinha da natureza...

Jacinta Dantas disse...

E é por essas e outras que a gente precisa fazer o exercício de viver o Agora, com toda intensidade. Amanhã, só existe na nossa ilusão.

Grande abraço

dade amorim disse...

Que nada, Jens. A vida é assim mesmo.

Beijo.

dade amorim disse...

Traumaticamente, diria eu.

Beijo, Ana.

dade amorim disse...

Isso, Jacinta. É o espírito da coisa.

Beijo :)

Carol Timm disse...

Dade,

A vida é trágica, mas a gente pensa que tem muito tempo e o tempo nos escapa... sempre.

Mas esse final (embora trágico) é romântico: pelo menos eles tiveram lua de mel!

Beijos,
Carol

dade amorim disse...

É mesmo, Carol, foi o melhor de tudo. Beijocas.

Nanda disse...

Pois é, a vida tem dessas cisas. No final do ano passado, um primo que morava no Maranhão veio nos visitar. Ele morreu meses depois, de câncer. Na visita, ele escondeu a doença de todos; era uma despedida e ninguém poderia imaginar. Muito triste. Beijos, Dade

dade amorim disse...

Vovó sempre dizia que pra morrer basta estar vivo.

Beijo!

Chorik disse...

Caramba Dade, fiquei boquiaberto com o final! Pior que isso só um sobrevivendo.

Melissa disse...

Um tanto mórbido! Um tando descompromissado com a morte. Um tanto presente, pois é o que a vida nos pede!

Um beijo, Dade!
Mel

dade amorim disse...

Pois é,Melissa, é só uma ficção da realidade, inspirada num avião que caiu levando dois casais em lua de mel. Às vezes a vida é mórbida.

Beijo.

dade amorim disse...

Verdade, Chorik. Pura verdade.

Beijo.

Marco disse...

Cara Adelaide,
pelo visto, você arrasa no conto curto, gênero ond nem me arrisco, por ser extremamente verborrágico. Em pucas palavras, você contou uma história triste a agoniante.
Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

dade amorim disse...

Marco, tudo nesta vida tem várias faces. A felicidade também tem inimigos, e nunca se sabe...

Beijo.

Sylvia Araujo disse...

Eu estava bem aqui, enternecida com esse amor ainda verde, cheinho de promessas e sonhos, com escama de lua e tudo, e você me vem e dá uma facada dessas? rsrs

Ótima a tua pegada, Dade! :)

Encantada! (apesar do embrulho no estômago) rs

Beijoca

dade amorim disse...

Maldade, né? É não. C'est la vie.

Beijo!