quinta-feira

Carlito Azevedo no Prosa e Verso


No sábado passado, foi inaugurado risco, a página mensal de poesia do Prosa e Verso, suplemento literário do jornal O Globo. A página, editada pelo poeta Carlito Azevedo, fala de e por meio de poesia, apresentando poetas novos da terrinha e poetas de outras plagas.

“Microcâmeras do espírito”, o texto de abertura, foi uma linda sacada do poeta. Só pra dar uma ideia:

“Aí estão as câmeras de segurança, detectoras de movimento, aí estão os rastreadores, aí estão os celulares espiões com microtransmissores para escuta ambiente. Tudo para nos proteger do outro, da vida do lado de fora da pele, sem que isso implique, contudo, num cresciemnto da vida interior. E aí estão também os que gritam que a vida não pode ser só isso, que o presente deve ser mais rico de aventuras e experiências, que viver não pode ser apenas ‘sobreviver a uma criança morta’, como dizia Jean Genet. E esses, ao que parece, nunca desaparecem. Eles estão sempre aí, chamem-se Rimbaud ou García Lorca, Fernando Pessoa ou Sylvia Plath, João Cabral ou Allen Ginsberg. [...] Esta página onde se vai ler poesia pretende ser uma transparência através da qual se possa ver o mundo, para além das câmeras de segurança, rastrear as idas e vindas do espírito humano numa época rica e turbulenta, partícula acelerada de sonho e mundo real.”

10 comentários:

Olavo disse...

E bota real nisso..
Bjs

dade amorim disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
dade amorim disse...

...dá boa poesia, Olavo.
Bj

Jens disse...

Puxa, excelente apresentação, Adelaide. Deu vontade de ler.

Beijo.

dade amorim disse...

Por que não, Jens?

Beijo.

Anônimo disse...

Uma conquista e tanto para o suplemento, que (aqui entre nós) andava bem caidinho...

Beijo
César

Marco disse...

Olá, amiga Adelaide.
Eu já tinha visto essa coluna no Prosa e verso e passei os olhos nela. Muito interessante. E muito sagaz.
Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

dade amorim disse...

Marco querido, você vai gostar de lê-lo todo mês.

Beijo beijo

Anônimo disse...

Grande aquisição do Globo. Há algum tempo mudei de jornal, mas é bom saber que Carlito Azevedo está no suplemento dos sábados, ele sempre vale a pena.
Abraço e beijo de
Enylton e Célia

dade amorim disse...

Devidamente de acordo, meninos. Quem sabe o Globo começou a acordar de seu sono consumista e vazio?

Beijos mil.