segunda-feira

O que poderia ter sido o filme da minha vida

Blogagem coletiva proposta pelo blog Fio-de-Ariadne


Oh a minha mulher –
duas noites fora de casa
contemplando a Via Láctea.

Kusatao Nakamura (1901-1983)




O título ruim do ótimo filme:
Foi apenas um sonho

Apesar da atuação da premiada Kate Winslet e do bom desempenho de Leonardo di Caprio, seu parceiro de naufrágios, pra mim o coadjuvante Michael Shannon, filho psicótico dos senhorios, mereceria o prêmio maior neste filme de Sam Mendes, diretor que é também marido da protagonista (e, dizem, monitorou as cenas de sexo de uma sala ao lado).

Se alguém achar estranho o comentário sobre um filme recente, que talvez nem seja "o filme da minha vida", eu explico. Foi apenas um sonho poderia bem ter se tornado esse filme, se o tivesse assistido há uns dez anos ou mais. É lúcido, quando fala das idealizações dos seres humanos ("cada um saber a dor e a delícia de ser o que é".) É um filme bem dirigido, bem interpretado e não tem nada a mais ou a menos, técnica ou artisticamente. Reconstitui com muita fidelidade o American Way of Life dos anos 50, contando um tipo de drama bem mais frequente do que se imagina - e que se tornou vertiginosamente comum com o passar dos anos, agora talvez entrando em certo clima de revisionismo.

É sobretudo sensacional quando põe no meio da história um personagem, egresso de uma clínica psiquiátrica, para esclarecer as coisas, ir direto ao ponto, ver com muito clareza o que acontece na cabeça de cada um - além de ser interpretado por um ator tão perfeito que dá pra duvidar.

Imagino que o que consideramos o filme ou o livro da vida de cada um depende do momento que se vive. Eu poderia ter escolhido Zorba, o grego, que me marcou de um modo especial. Ou Noites de Cabíria, La dolce vita, Sociedade dos poetas mortos, Central do Brasil, Terra estrangeira, Casablanca, Plata quemada e tantos outros. Cada um deles teve sua importância, e foi de algum modo um filme de minha vida.

Gosto de histórias que fazem refletir, especialmente se vêm com qualidades tão especiais em termos de arte e técnica. Foi apenas um sonho, além disso tudo, tem a (rara) virtude de não ser grandiloquente nem cair no sentimentalismo fácil, num tempo em que os efeitos especiais e os personagens apelativos dão um toque vulgar e cafona a tantas histórias que até poderiam ter rendido bons filmes.

40 comentários:

hfm disse...

Um beijo, Adelaide. Saudades.

Eurico disse...

Grato, amiga, pelas tuas palavras. Vim aqui e encontrei essa bela resenha do filme. Tb gosto de personagens secundários, que funcionam com a agulha que costura uma possível e nova forma de ver a trama.

Abraçamigo.

Jens disse...

Oi Adelaide.
Uau, depois deste comentário entusiasmado, serei o obrigado a ver o filme. Excelente análise; diz muito mas não entrega o ouro, isto é, critica mas não conta o filme. Coisa de quem sabe o que faz.
Um beijo.

Carol Timm disse...

Adade,

Concordo com tudo que o Jens falou: resumindo além de tudo que escreve sempre tão bem, fez uma critica que deu água na boca do leitor, mas mantém o mistério e me fará ver esse filme no cinema...

Falando nisso, que tal um cineminha no feriado dia em que o trabalhador descansa? rs...

Beijos,
Carol

fred disse...

Entra na lista dos a assistir.
Beijos

Nanda Botelho disse...

Ainda não assisti esse. Essa postagem é mais um reforço para eu pegar na locadora.

Gostei de vc escolher um filme recente, embora inicialmente tenha estranhado.

Também gosto de filmes que nos levam a modificar conceitos.

Um abraço! Estou participando também!

Vanessa disse...

Eu nunca assisti nem - que vergonha - ouvi falar neste filme. Estou fazendo uma lista enquanto leio as postagens e depois vou á locadora .

Muito obrigada por sua participação..
abraço

Georgia disse...

Eu assisti quase todos da sua lista, tirando Plata quemada, anotado.

Zorba, é sensacional, vida, cultura, tradicao...

adelaide amorim disse...

Helena, que bom que voltou. Beijo.

adelaide amorim disse...

Obrigada, Eurico. Você pegou bem o esírito da coisa. Beijo!

adelaide amorim disse...

Obrigada, Jens. O filme é bom mesmo, mas n ão é tipo "grande público". Beijo pra você.

adelaide amorim disse...

Oi, Carol. Acho que você vai gostar.
Beijobeijo

adelaide amorim disse...

Fred, depois me conta. Beijo pra você.

adelaide amorim disse...

Nanda, então você vai curtir esse.
Beijo e obrigada.

adelaide amorim disse...

Vanessa, cinema é uma delícia, mas tem que ser bom. Espero que curta os filmes. Beijo.

adelaide amorim disse...

Georgia, pra mim Plata quemada foi um dos melhores a que assisti. Beijo.

Cris disse...

Oi, linda,

Ainda não assistí.Confio no teu "paladar" e vou alugar. Que poeta mais pobre de rima, sô!

Beijão, querida.

Compondo o olhar ... disse...

não assisti a este filme...mas já anotei. estou amando esta blogagem... parabéns!!!

bjocas

pa: tbm estou participando, veja a minha postagem.

Du disse...

Achei este filme muito interessante! :)

Tucha disse...

Também gostei do filme. Sonhos que se estabelecem, sozinhos ou com outros nos mobilizam e nos deprimem qdo nos perdemos no meio do caminho.

Hariane disse...

Gostei mto desse filme!

Bj

adelaide amorim disse...

Cris, acho que vai gostar, viu? Beijo beijo.

adelaide amorim disse...

Também estou amando esta blogagem sobre filmes, Olhar. Beijão.

adelaide amorim disse...

Original, né, Du? Também achei. Um beijo.

adelaide amorim disse...

Tucha, gostei muito da interação entre eles, os sonhos cruzados e logo desfeitos. Beijo.

adelaide amorim disse...

Que bom que gostou, Hariane. E prazer em conhecer você. Beijo.

dácio jaegger disse...

Por sua análise, Adelaide, reflexões são também o necessário para complementar o enredo, porque muitos filmes muitas vezes nos provocam um preenchimento de cenas atendendo ao desejo de viajar ou até interiorizar e diálogos que nos alienam por nos vermos bem melhores do que os protagonistas. bjs.

DAIANE disse...

tb estou participando da blogagem, é vim conferir o filme e conhecer seu cantinho!
Esse filme que você escolheu
me parece ser muito bom,estou até com vontade de assistir, srsrs!um grande abraço! aguardarei sua visita, fica com Deus!!

Nanda Botelho disse...

Respondendo ao seu comentário lá no blog...

Sim a postagem foi um sucesso! Gostei dos filmes sugeridos, gostei de conhecer pessoas novas, novas pessoas me conheceram, e o melhor de tudo foi divertido!

Volte sempre!

adelaide amorim disse...

Tem toda razão, Dácio, é isso mesmo: adoro filmes assim. Beijo!

adelaide amorim disse...

Você vai gosta, Daiane. Um beijo e seja bem-vina.

Gisele Amaral disse...

todas as suas citações são simplesmente demais! Mas a sua escolha também foi muito bem feita; este é um filme realmente inesquecível.

Um beijo.
=*

lupussignatus disse...

viajar

na

tela


(está na lista :)

Nade disse...

Olá!
Em fevereiro, véspera de eu viajar de férias, fiz um selinho em homenagem aos amigos blogueiros, aos seguidores, aos blogs que sigo.
Fiz porque amo selos e eles são a melhor expressão de carinho aqui na blogosfera.
O seu é um destes!
Não só isso! É também de me fazer sempre presente para que vocês saibam que tem sempre alguém esperando ansiosamente as suas postagens...
Por favor, vá até ao Orgulho de Ser, pegue o selinho e rebeba-o com muito carinho.
A postagem é a Selo Orgulho de Ser - Parte II.
Espero que goste!
Grande beijo e um excelente final de semana!
Nade, do Orgulho de Ser.

Márcia disse...

Eu gostei muitíssimo. Mas Kate, pra mim, é a 'mais perfeita'. rs Ainda mais que no dia seguinte fui ver O Leitor, de que gostei mais ainda.

E essa coisa de filmes da vida são isso mesmo: os filmes das muitas vidas que vivemos durante a nossa vida.
Beijo querida. Saudades.

adelaide amorim disse...

Gisele, também gostei demais das suas escolhas, deixei um comentário no seu blog. Beijo.

adelaide amorim disse...

Lupus, acho que você vai gostar. Depois me conta.

adelaide amorim disse...

Nade, adorei o presente e vou postá-lo aqui e guardar na coleção.
Um beijo

adelaide amorim disse...

Márcia, que bom você aqui. Beijo, querida.

Mírian Mondon disse...

Oi Adelaide!
Deveria ter conhecido voce e seu blog na coletiva O Filme da minha Vida! Não sei como não vi seu blog!

Bom mas nosso dia chegou :) Vim pela Tertulia que ainda vou ler mas logo vi sua postagem do filme.

Gostei muito da sua resenha, voce escreve muito bem! O filme não vi, mas seu olhar sobre ele me fez querer ver. Parabens e...

Muito prazer em te conhecer! Quero de convidar para ler meu post sobre o filme, lá no Café.

Grande abraço!