quarta-feira

Tertúlia Virtual



Lições que os gatos ensinam


Minha amiga Bia é proprietária (ou propriedade de) cinco gatos. E como em numerologia o cinco é o número do prazer, lembrei deles para falar do assunto. Mas não só por causa do número.
Essa coisa de criar gatos vem desde muito cedo. Bia não sabe viver sem eles. Adora olhar pra um lado e ver a graça do bichinho lavando a cara com a patinha aveludada, os olhos fechados como quem curte muito alguma coisa; olhar pro outro lado e dar com dois deles brincando em poses renascentistas, logo rolando, virando cambalhotas e depois, cheios de adrenalina, fugindo de um perigo imaginário. Pura alegria felina. E o prazer com que eles comem, bebem água e lambem o focinho, coçam as orelhas, caminham com pose de grandes senhores, no rumo do canto predileto para tirar uma soneca? E a felicidade que transmitem quando se espreguiçam num alongamento perfeito? E a barriga pra cima, com cara de criança levada? O esconde-esconde? Até cavucando a areia da bandeja do sanitário gatal eles são umas graças.
Os gatos se tornaram para Bia o símbolo do prazer, do desejo bem-sucedido. Experimentem contrariar um bichano quando ele tem fome, sede ou quer brincar. Ou então acorde um deles quando estiver mergulhado num daqueles sonos que só os gatos sabem dormir. Em defesa de seu prazer, o gato é capaz de arranhar até o próprio dono. Minha amiga afirma com a maior convicção que os gatos amam seu dono. Se há várias pessoas na casa, eles elegem uma para amar e confiar. Podem respeitar os outros, brincar com eles, mas O Dono é o escolhido, não tem pra mais ninguém. Pois mesmo nesse caso, não tente querer mandar nele. Contente-se com a honra que lhe é oferecida: ser o eleito de um gato é um título e tanto. Sinal de que você é um cara legal, um bom amigo, um sujeito do bem que sabe agradar quem está a sua volta.
É verdade que, se é o feliz possuidor de um ou mais felinos, nem sempre você vai poder fazer o que quer na hora que quiser. A não ser que não contrarie os robustos desejos de seu bichinho de estimação, ele não vai tolerar abusos, e sempre manifestará seu desagrado. Se você fizer barulho durante o sono dele, pode ser que saia com ar ofendido à procura de um lugar mais confortável para dormir – não sem antes lhe lançar um olhar de desdém supremo; se estiver comendo e começarem a consertar a máquina de lavar ao lado de sua tigela, retira-se com a dignidade de um fidalgo para acabar a refeição começada num momento mais tranquilo (se não arrastar a tigela para longe dali, caso esteja com muita fome, e não interessa se vai lambuzar o chão ou virar a água).
Todo gato é um ícone do triunfo do prazer. Ele não pára pra lembrar o passado e muito menos pensa no futuro. Não sai do momento presente, porque é no presente que o desejo mora, e é pelo desejo que se chega ao prazer.
Acho que a moral dessa história só pode ser uma: prazer sem desejo pode ser qualquer coisa, menos prazer. Mas pode, sim, haver desejo sem prazer, mais conhecido como frustração.





Surprise!!!

Quem diria! É por essas e outras que nunca, mas nunca mesmo, se deve julgar alguém pela aparência.

http://www.youtube.com/watch?v=luRmM1J1sfg

32 comentários:

expressodalinha disse...

Gatos são ícones de prazer... Totalmente de acordo. Cá por casa andam quatro e estão no melhor sítio da casa. Só prazer!

james emanuel disse...

Muito bem lembrado.

Agradeço aos gatos com quem fui criado a importância de saber dar e receber carícias.
São degustadores...

Um abraço.

Serena Flor disse...

Estou tendo muito prazer em conhecer novos cantinhos e mais prazer ainda de estar participando desta tertúlia maravilhosa.
Belíssima participação...parabéns!
Beijos.

Serena Flor disse...

Estou tendo muito prazer em conhecer novos cantinhos e mais prazer ainda de estar participando desta tertúlia maravilhosa.
Belíssima participação...parabéns!
Beijos.

Ery Roberto Correa disse...

Dade, adorei teu texto. Diferente de todos que li hoje. É preciso aprender com os bichanos. Lá em casa, quando éramos crianças, havia muitos. As características de comportamento que contou aqui são mesmo de "tirar o chapéu". Os felinos são inteligentes, mas também arrogantes. Tudo leva para as belas conclusões tão bem sacadas ao final. Enfim, aprendi muito. Grato, querida.

Compondo o olhar ... disse...

gatos... e gatos!!! oh!!! bichano sapeca e inteligente...
é com prazer que venho aqui me deliciar com seu texto maravilhoso... parabens!!!

bjocas

king of pain disse...

Fiquei com vontade de ser gato.

Iêda disse...

Prazer chegar até aqui e ver um texto falando sobre gatos... Felinos prazeres!!
Eles são a representação perfeita do prazer, sabem como aproveitar cada ponto do prazer. Só discordo com eles elegerem apenas o Dono para amar; já tive vários gatos e agora tenho uma com 11 anos de idade e é o animal mais doce que já tivemos em casa, ama cada morador de lá e demonstra isso a todos!!
beijão!!
Ah!! adorei seu canto e as músicas... bela escolha!!

Nanda disse...

Adorei a metáfora, falar do prazer enviesadamente, e não direto, ficou diferente e interessante!

Bjs.

Também estou na tertúlia.

Nanda disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eduardo P.L disse...

Adelaide,

obrigado por dividir com todos nós essa experiência de prazer!

Obrigado por participar! Dia 15 teremos mais!

adelaide amorim disse...

Expresso, obrigada pelo apoio e simpatia! Abraço pra você.

adelaide amorim disse...

É, João, os gatos são mesmo "degustadores" :D Beijo e obrigada.

adelaide amorim disse...

Já me identifiquei tanto com eles, King! Beijos gerais.

adelaide amorim disse...

Iêda, adorei conhecer você. Beijo.

adelaide amorim disse...

Eduardo, p prazer foi todo meu :D
Beijo.

Anônimo disse...

Parabéns pelos profundos conhecimentos sobre gatos, amiga!
Eu e Celinha parece que estamos vendo os gatos de sua amiga Bia.
Beijos duplos!
Enylton

dácio jaegger disse...

Prazer e gato, metáforas e gente; gente de todos os tempos desde que no Egito da realeza os gatos, agora veja, a cabeça de uma gata num corpo de mulher era uma deusa de luz, calor e energia e servia para fertilizar a terra e o homem, curar doenças e até conduzir almas; mais tarde na Grécia, porque as gregas eram mais gatas, mais felinas e adoravam explicitamente o prazer sexual, Afrodite e Artemis se fartaram de tanto amor e sexo. No entanto, no Cristianismo que antes o tinha como aliado, na Idade Média o bichano foi levado à conta do diabo; foram mortos aos milhares. Ao final daquela era, resgatados passaram a frequentar palácios e Pio IX rendeu-se a seus encantos. Liberou geral. Hoje, até somos gatos e gatas, muitos nem tantos, mas os próprios não são tão humanos como parece, cachorro é mais gente. Beijos

adelaide amorim disse...

Olá, Enylton, saudade de vocês. Beijo beijo.

adelaide amorim disse...

Dácio querido, nada como a história pra lançar luz sobre os fatos. Beijo pra você.

Vanessa disse...

Oi,

Em poucas horas começará a Blogagem Coletiva - Dia Nacional do Livro - Quem foi seu Monteito Lobato? Peço que , tão logo publique deixe um comentário com o link no post do dia do Fio de Ariadne. Abraço e até lá.

Nade disse...

Olá!
Passando somente hoje para ler sua postagem de participação na Tertúlia... Meus dias estão bem corridos...
Mas é um imenso prazer em ler seu post, viu!
Tem coisa mais prazerosa que curtir um bichinho?!? Delícia, né!
Amei o seu blog! Tô seguindo!
Bjs
Orgulho de Ser

Marco disse...

Olha, amiga Adelaide... é uma pena que gatos não saibam ler. Se soubessem, comentariam uns com os outros que uma humana teve sensibilidade suficiente para se referir a eles. Eu amo os bichos (menos cobra). E isso inclui gatos, embora eu nunca tenha tido nenhum. Mas um dia terei um gato, um cão, um golfinho e um hipopótamo. Deixa só eu me aposentar...
Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

adelaide amorim disse...

Tudo em riba, Vanessa :D Beijo pra você.

adelaide amorim disse...

Nade, adorei seu blog, viu? Um grande beijo.

adelaide amorim disse...

Marco, quando você arranjar o golfinho e o hipopótamo me avise, por favor :D Beijo.

Nanda disse...

Dade, eu não era muito fã de felinos, até Garfielda (a primeira integrante da Família Felina) aparecer! Hoje me divirto vendo Batuta, Reginalda, Alvina e cia - olha os nomes...rs - brincando, dormindo e fazendo artes! Beijos!

adelaide amorim disse...

É fácil gostar deles, Nanda, é só conhecer de perto. Beijo beijo.

Compulsão Diária disse...

Então, se assim é , a referência ao umbigo...temos algo em comum. Veja meu postado da Tertúlia, no meu http://cd-ladob.blogspot.com

que é meu Lado B, onde não escrevo muito meus poemas, mas minhas coisas mais livres da compulsão dária;)))

Aliás, o Monteiro eu postei no lado B

Beti Timm disse...

Adelaide,

ninguém até hoje descreveu tão bem um gato. Tenho 5: Lucy, Mel, Faísca, Tinguy e Dudu. Eles agradecem suas palavras e lhe mandam um ronronar carinhoso.

Eu lhe deixo um beijo!

adelaide amorim disse...

CD perfeito, lados A e B :D
Beijo, Beatriz.

adelaide amorim disse...

Beti, você é como minha amiga - conquista dos felinos :D
Beijos e miau!