sábado

Allende em Turim

Isabel Allende é uma das melhores contistas que conheço.
Opinião pessoal, é claro. Mas se você ainda não leu Contos de Eva Luna, leia que vale a pena.
Mais conhecida pelo autobiográfico Casa dos Espíritos, que deu um bom filme com Jeremy Irons, aquele gato, e Meryl Streep, é autora de mais 14 romances, um livro de memórias, três de contos e três peças para teatro (tá na Wikipédia, vai lá).

Mas a sobrinha de Salvador Allende não é só uma escritora das boas, mas uma mulher de ideias claras e opiniões definidas. Feminista (ainda), ela articula seus pontos de vista com grande propriedade e humor.
Achei uma delícia assistir ao vídeo aí abaixo. Podem conferir.







Primeira Fonte
tá jorrando de novo e espera seus leitores de braços bem abertos.

13 comentários:

Anônimo disse...

Você disse bem : ainda feminista.
Um tanto fora de moda, mas no caso dela tem charme, concordo.e apesar de tudo, ainda tem muito que discutir sobre o assunto.
Beijinho,
AnaG

Jens disse...

Oi Adelaide.
A idéia do matriarcado até que me agrada - já que os homens falharam, quem sabe as mulheres não consertam as coisas...
***
É reconfortante saber que a utopia não morreu por completo, que há ainda a pessoas que se preocupam com o bem-estar do próximo e almejam construir um mundo melhor, mais justo, fraterno e igualitário, sem explorados nem exploradores, sejam eles homens ou mulheres (quando fico empolgado, políticamente, retomo a retórica dos anos 70). Melhor ainda quando esta profissão de luta e fé vem embalada num discurso que alia lucidez indignada com pitadas de sarcasmo e elegante bom humor. Dona Isabel confirma que é uma intelectual de respeito, assim como você, que teve a sensibilidade de partilhar com os seus leitores esta excelente palestra.
Valeu a divulgação.

Um beijo.

dade amorim disse...

Pois é, Ana. Há temas que não saem totalmente de moda, embora se acalmem aqueles ardores exagerados dos anos 60 e 70.

Beijocas.

dade amorim disse...

Jens, partilho com você essa vontade de utopia. Sem ela, o mundo perde a graça e fica todo cinzento, inóspito e vale-de-lágrimas ainda mais do que já é.

Beijo pra você.

Luma Rosa disse...

Poxa, Adelaide! Deve ter ouvido ela justificar o porque 'ainda' é feminista. Pessoalmente compactuo com seus motivos; podemos trocar o nome para outro mais bonitinho que 'feminismo' mas a injustiça social com as mulheres sempre existirá, enquando houver 'poder com impunidade'. Beijus,

dade amorim disse...

De acordo, Luma. Talvez seja só uma questão de nomes, talvez.

Beijus pra você.

Carol Timm disse...

Dade,

Que palestra memorável. Hoje, numa tarde mais calma e menos quente, estou colacando leituras e até alguns vídeos recomendados em dia.

Esse valeu cada palavra!

Admirável sua palestra e a lucidez de suas idéias, sem contar o senso de humor, valeu muito!

Beijos, amiga, até sábado!
Carol

dade amorim disse...

Oi, Carol, nem vi você chegar.
Isabel é ótima, não?

Beijo beijo

lupussignatus disse...

a voz

que vem

do fundo


[com/o uma
força
inquebrantável]



abraço,
Vítor

dade amorim disse...

É verdade, Vítor. Allende passa uma grande força, autenticidade e carisma.

Abraço.

Anônimo disse...

Vixe, eu amo essa mulher

Anônimo disse...

Contos de Eva Luna é um livro Fantástico! Penso até em rabiscar algumas coisas sobre ele...

Dainty disse...

Contos de Eva Luna é um livro fantástico. Penso até em escrever uns pequenos rabiscos sobre ele... Boa sugestão.